Online

2ª a 6ª Feira
das 09:00
às 18:00hs
Acesso Interno
 
 

Categorias Estado Cidade Bairro Nome
A INVERSÃO DE VALORES

As vezes acho que estou ficando maluco, doido ou sem juízo mesmo. Se bem que desde garotinho sempre ouvia minha mãe me dizendo:

- Menino cria juízo.

Mas eu teimava em não criar, e acho que não criei até hoje! Pois agora além da minha mãe, muitos amigos, a esposa e boa parte da família continuam me dando este conselho.
Bom, mas vamos para mais um comentário que talvez não agrade muita gente até porque trata-se de um assunto extremamente complexo, assunto este que me leva a refletir sobre algo que não quero acreditar.

- A INVERSÃO DE VALORES.

Hoje constatei que está tudo errado, o país do desenvolvimento hoje é o país da inversão de valores.

Só na última semana me deparei com algumas situações que na minha modéstia opinião comprovam a minha tese, acompanhei pela TV alguns depoimentos em relação a invasão da polícia aos morros do Rio de Janeiro, quando na verdade não existe invasão e sim uma retomada do que de fato deveria pertencer a comunidade que ali mora.
Muito me espantei com um traficante falando em um desses rádios e todo imponente e cheio de razão desafiava a polícia.

- Ai, não adianta tentar subir, vocês não vão tomar o morro. Nós vamos morrer! Mas vai morrer muito policial também, aqui nós temos bala de titânio.

A audácia e a certeza deste traficante chega a me assustar, afinal pela declaração dele, ele é o certo, os moradores são aqueles que incomodam e a polícia que quer devolver a paz a comunidade é quem está errada. Absurdo? Bom, vamos em frente.

Hoje como bom Corinthiano que sou, acompanhei alguns programas esportivos na esperança de ter alguma notícia que me animasse com a campanha do meu time para última rodada do campeonato brasileiro e tudo que vejo são torcedores do Corinthians comemorando o gol do palmeiras, bom é verdade que o Corinthians dependia do Palmeiras, mas daí a comemorar o gol do principal rival? Decepção total.

Bom seguindo ainda no futebol, vejo cenas do goleiro do Palmeiras sendo xingado, ofendido e ainda houve tentativas de arremesso de vários copos d’água contra sua cabeça, havendo inclusive a intervenção da polícia para conter os torcedores que faziam isso contra um profissional que apenas cumpria o seu papel, ou pelo menos na minha época era assim, goleiro tinha que defender e não tomar gols.

Mas neste episódio o que me espantou não era a torcida do Fluminense que tentava agredir o goleiro e sim a própria torcida palmeirense. Como assim? A própria torcida xingava e arremessava objetos contra o goleiro do próprio time. Isso mesmo, mas para sorte do bravo Deola que resistia em segurar o ataque do time adversário no cumprimento do seu dever, mesmo sendo ofendido até a quinta geração de sua família, ele foi vencido, e então a torcida do palmeiras começou a comemorar os gols do time carioca.

Outro dia li que o deputado federal mais votado do país acertou apenas 30% do seu teste de alfabetização e que foi considerado apto a exercer um dos cargos de extrema importância para a política do nosso país.

Mas se me recordo foi neste mesmo período que tivemos problemas com as provas do ENEM, em que milhares de estudantes foram prejudicados. Então me pergunto se um deputado que não sabe ler e escrever direito, é julgado por uma comissão em um tribunal, e mesmo errando muito mais da metade das questões é considerado apto. O que aconteceu com as provas do ENEM? Será que a mesma justiça que avaliou o deputado é a mesma que vai avaliar o ocorrido com as provas do ENEM?

Então me pergunto onde está a justiça que julga os crimes de colarinho branco, os casos de pedofilia, os juízes e policiais que se envolvem com o tráfico de drogas, os mensalinhos e mensalões e tantos outros crimes que ficam sem solução pelo simples fato de que é mais fácil fazer vista grossa para o que é errado, do que acertar o que dará muito trabalho para ser acertado.

Que a inversão de valores existente hoje no país, não se resuma apenas a ser conivente com determinadas situações pelo interesse individual de determinada pessoas.
As coisas quando chegam no ponto que chegaram no Estado do Rio de Janeiro é porque durante anos as pessoas aceitaram o errado como sendo certo, e o certo como sendo errado!

Francisco Carlos (FRAN) - Presidente da AEC Kauê e Proprietário do Site www.itaquera.com.br


Banners